Voto impresso tem apoio de maioria em comissão e deve avançar na Câmara

Share on whatsapp
WhatsApp
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn

O voto impresso já conta com maioria na comissão que analisa o tema na Câmara de Deputados, segundo informações do Estadão/Broadcast.

De 32 parlamentares, 21 já manifestam aceno favorável ao tema.

Com isso, a pauta deve ser aprovada, avançando na tramitação da casa.

Bandeira defendida pelo presidente Jair Bolsonaro, o voto impresso conta, inclusive, com apoio da oposição.

Os adversários do governo acreditam que a medida deve colocar um fim nas fragilidades do processo eleitoral.

Apesar disso, PT e Rede são os partidos que montam resistência e tentam fazer que a ideia não avance.

A confiabilidade da urna eletrônica tem sido questionada por milhões de brasileiros. Recente, conforme registrou o Conexão Política, manifestantes foram às ruas no Dia do Trabalhador para apoiar o voto auditável.

A Proposta de Emenda à Constituição (PEC) do voto impresso é de autoria da deputada Bia Kicis (PSL-DF), aliada próxima do presidente.

No início início de maio, a parlamentar, que é a atual presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), veio a público para rebater a narrativa de que a medida estaria enfrentando rejeição no Congresso.

Segundo ela, apesar de o tema ser liderado pela ala conservadora, grande parte dos parlamentares estão enxergando o projeto com bons olhos, além de já acenarem positivamente em defesa da aprovação da proposta de emenda à Constituição (PEC) 135/19, que torna obrigatória a impressão do voto nas eleições para que seja possível auditar o resultado das urnas eletrônicas.

Na sequência, o presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), decidiu instalar uma comissão especial para analisar a PEC.

O Conexão Política explica a importância da urgência do voto impresso no processo eleitoral brasileiro. Saiba mais!